Revista

A A A
Divulgação
fernanda-torres-e-eduardo-coutinho-em-jogo-de-cena-p
A atriz Fernanda Torres e o diretor Eduardo Coutinho filmam "Jogo de Cena"

Em junho de 1898, o italiano Afonso Segreto registra com uma câmera Lumièr algumas imagens da Baía de Guanabara. Assim surgia o cinema no Brasil. De lá para cá muita coisa aconteceu. O país teve períodos de pouca expressividade e de grandes sucessos na sétima arte. O primeiro deles, Ganga Bruta, de 1933, foi considerado pelo cineasta Glauber Rocha "um dos vinte maiores filmes de todos os tempos". No início dos anos 1990 houve um período de baixa na produção, que foi quebrado com o lançamento do longa Carlota Joaquina, de Carla Camurati, em 1995, símbolo da retomada do cinema nacional. Já na atualidade, nos primeiros dez anos do século 21, o cinema nacional se estabilizou e apresentou trabalhos significativos como Cidade de Deus, em 2002, que foi reconhecido internacionalmente.

E é desse período que a BRAVO! selecionou os filmes brasileiros fundamentais. Conheça os cinco primeiros:

Jogo de Cena, de Eduardo Coutinho (2007)

23 mulheres selecionadas, a partir de 83 que atenderam a um anúncio de jornal, contaram suas histórias para o diretor Eduardo Coutinho, em junho de 2006. Três meses depois, atrizes como Andrea Beltrão e Marília Pêra interpretaram algumas delas. Não fica claro ao espectador em que momentos as atrizes atuam e em que momento estão contando suas próprias experiências. Neste trecho, Fernanda Torres fala de uma tia que seria mãe de santo.

Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho (2001)

Adaptação da obra homônima de Raduan Nassar, o longa conta a história de André (Selton Mello), que fugiu de casa, mas é levado de volta pelo irmão Pedro (Leonardo Medeiros). Este reencontro traz à tona os motivos que o fizeram abandonar a família. Entre eles, o amor incestuoso que nutre pela irmã Ana (Simone Spoladore).

Santiago, de João Moreira Salles (2007)

Em 1992, o carioca João Moreira Salles filmou seu ex-mordomo, o argentino Santiago Badariotti, com o objetivo de desenvolver um filme que contasse a história e as excentricidades do serviçal. Mas, ao assistir as cenas filmadas, não conseguiu dar continuidade ao projeto. Foi 13 anos depois que o diretor decidiu rever o material e percebeu que precisava se expôr para que o longa fizesse sentido, mudando o foco para a relação dos dois.

Cidade de Deus, de Fernando Meirelles (2002)

O longa, que teve quatro indicações ao Oscar de 2004, conta a história da formação da favela Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, pelo ponto de vista do garoto Buscapé (Alexandre Rodrigues). O menino negro, morador da comunidade, deseja se tornar fotógrafo e fugir da lógica do crime que reina no ambiente em que vive. A partir de flashbacks, ele nos leva ao início da marginalidade naquele lugar e explica como isso influencia a sua vida.

Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, de Karim Ainouz e Marcelo Gomes (2009)

O geólogo José Renato (Irandhir Santos) avalia o possível percurso de um canal que será construído no sertão nordestino e se contamina pela sensação de desamparo, pela saudade da ex-mulher e pela vontade de voltar para casa. Para desenvolver esse filme, os diretores utilizaram gravações feitas em 1999, que foram também usadas no documentário chamado Sertão Acrílico Azul Piscina, seis anos depois.

Tags: Santiago, Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, Cidade de Deus, Jogo de Cena, Lavoura Arcaica,

Conteúdo relacionado

1 comentário(s) de 1

  1. Ótima lista.

    responder