Revista

A A A

Divulgação

the_horse_in_motion

Objetivos

- Compreender as relações entre fotografia e cinema

- Conhecer melhor a história da fotografia e do cinema

- Produzir uma animação a partir de um ensaio fotográfico sobre movimento

Conteúdos

- Cinema

- Fotografia

- História da Arte

Anos

Ensino Médio

Tempo estimado

4 aulas

Materiais necessários

- Câmeras fotográficas

- Computadores com acesso à internet

- Projetor de imagens

- Computadores com programas de edição de vídeo (boa parte dos computadores que utilizam o sistema operacional Windows já possuem o programa Windows Movie Maker)

 

Desenvolvimento

1º etapa: para começar, vamos estudar história?

O homem sempre procurou registrar suas ações de alguma maneira. Na Pré-História, os seres humanos deixaram nas paredes das grutas pinturas que relatavam as suas ações como cenas de caça, danças e a criação de animais.Com o desenvolvimento das civilizações, outras linguagens e técnicas foram desenvolvidas buscando relatar os momentos vividos pelos grandes personagens como reis, sacerdotes e outras personalidades influentes nas diversas sociedades de todo o mundo. Posteriormente o cotidiano do povo também passou a ser registrado em pinturas, desenhos e gravuras. Hoje, obras em museus e coleções particulares espalhadas pelo mundo fornecem subsídios para a compreensão da realidade em que viveram as pessoas do passado.Nesse sentido, ao longo dos séculos muitos artistas buscaram por técnicas que lhes permitissem realizar obras que documentassem com fidelidade os modelos retratados. A pintura a óleo, desenvolvida no Renascimento, foi uma verdadeira inovação, pois oferecia aos artistas recursos que lhe permitiriam a execução de uma pintura mais suave e detalhada do que a técnica da pintura à têmpera (tinta feita à base de gema de ovo misturada com pigmento). Foi assim que grandes nomes como Leonardo da Vinci e todos os que o sucederam, realizaram obras de incomparável delicadeza.Essa é uma boa oportunidade para apresentar obras de artistas como Leonardo da Vinci, Hans Holbein (o Jovem), Ingres, David e outros pintores que se dedicaram ao extremo refinamento técnico em busca de um preciosismo em relação aos modelos retratados. Aproveite oGoogle Art Projectpara apresentar algumas obras aos alunos.

A reportagem "Martírio e Beleza" publicada na revista BRAVO! de outubro de 2012 apresenta o trabalho do cineasta e escritor russoAndrei Tarkóvski. E conta como esse profissional manteve uma forte ligação com o registro do momento utilizando como ferramenta a fotografia Polaroid. Conduza uma leitura da reportagem com a turma e para entender melhor a proximidade entre cinema e fotografia, promova uma conversa a história destas duas artes.

2º etapa - Introdução à história da fotografiaA fotografia foi o resultado de um conjunto de descobertas que começou com pesquisadores que viveram antes de Cristo, os criadores das primeiras câmaras escuras - dispositivos que possuíam um pequenino orifício por onde entrava um "fio" de luz que projetava a imagem do mundo exterior na parede oposta. A imagem projetada não tinha foco e ao longo do tempo os experimentos conduziram a um aperfeiçoamento desse dispositivo. Lentes e outros aparelhos foram associados a esse pequeno furo e aos poucos as coisas começaram a se tornar mais elaboradas.

Tudo ficou tão interessante que os artistas começaram a usar essas "câmeras" colocando uma folha de papel na área em que se projetava a imagem. Assim conseguiam referências mais precisas para seus esboços, sobretudo para retratos. A partir desse estágio entraram os químicos, que buscaram soluções para fazer com que a imagem projetada não desaparecesse com a interrupção da luz. A solução foi a sensibilização de uma superfície com sais sensíveis aos raios luminosos e que "marcavam" essa superfície nos locais atingidos pela luz (para tornar essa explicação ainda mais clara vocês poderão contar com a ajuda de um professor de química, pode revelar as reações que viabilizam a fotografia).As primeirasfotografiaseram feitas em chapas e demoravam horas para serem registradas. Gradativamente, outros pesquisadores aperfeiçoaram a técnica, e nomes como Willian Henry Fox-Talbot e Frederick Scott Archer contribuíram para o desenvolvimento de processos mais elaborados que permitiram que a imagem ficasse registrada em uma superfície e fosse reproduzida e fixada em folhas de papel.

Conte aos alunos que no Brasil tivemos um grande incentivador à difusão dos processos fotográficos: o jovem imperador D. Pedro II. Além de fotógrafo, foi também um grande admirador das pesquisas ligadas ao registro de imagens.Vale lembrar que a palavra "photographie" foi cunhada por Hercules Florence, um francês que morava na Vila de São Carlos (atual município de Campinas, SP). Em 1833 Florence já havia descoberto o termo e testado no Brasil, como resultado de pesquisas que vinha desenvolvendo na França. Mas como não requeriu a patente, o mérito da invenção acabou ficando com os franceses, quando Daguerre, em 1839, criou o daguerreotipo.Já no século 20, a Kodak foi a primeira fábrica a desenvolver um tipo de filme que poderia ficar dentro de uma câmera. A cada disparo esse filme passava de um lado para o outro da câmera, permanecendo protegido da luz. No final, era enviado para o laboratório que fazia a revelação e ampliação em papel das imagens. Isso certamente significou mais um avanço e contribuiu para uma primeira popularização da fotografia.

Comente com a turma que até então não era possível verificar o resultado da foto, apenas quando o filme fosse revelado. Isso gerava grande expectativa, pois nem sempre era possível saber se os resultados obtidos eram os esperados. Uma solução para toda essa ansiedade foi criada por uma empresa norte-americana chamada Polaroid, que criou um tipo de câmera com dispositivos que lhe permitiam revelar e imprimir a imagem 60 segundos após o "click". Foi uma verdadeira revolução!Mas a maravilha ainda tinha um problema: a resolução da imagem de uma foto feita com uma câmera Polaroid ficava muito aquém daquela obtida com as câmeras analógicas tradicionais. Além disso, os custos desse tipo de equipamento e do próprio filme eram muito elevados em relação ao sistema convencional, o que restringiu sua popularização.Por isso o sistema tradicional que envolve o registro da imagem, a revelação do filme e a ampliação em papel, foi empregado até a grande virada no processo que começou com a chegada das câmeras digitais no final da década de 1980.

3º etapa - Introdução à história do cinemaConte à turma que agora eles vão aprender um pouco sobre ahistória do cinema. Diga que até o século 19 não havia sido possível registrar o movimento, apesar das várias tentativas com este objetivo. No fim das contas foi a fotografia que mostrou o caminho. O fotógrafo inglês Eadweard J. Muybridge desenvolveu um sistema para registrar em sequência até 24 imagens de um mesmo corpo em movimento, que depois eram apresentadas em um dispositivo chamado zoopraxiscópio. Ele apresentava as fotos em sequência e com uma velocidade tal que permitia ao observador ter a noção de que as coisas estavam se mexendo.Esta foi a base do cinema como o conhecemos até hoje. O que acontece no cinema é que uma câmera especial registra uma série de imagens de um mesmo fato em movimento e quando essas imagens são projetadas, isso acontece tão rapidamente que a persistência da visão faz com que o nosso cérebro una uma imagem à outra e interpretamos isso como um movimento contínuo. Torne a compreensão da turma mais clara, aproveitando para apresentar algumas imagens deMuybridge.

 

A história do cinema envolveu desde os seus primórdios grandes pesquisadores e, entre eles, estão o próprio Thomas Edison e os irmãos Auguste e Louis Lumière. Vale dizer que no princípio (embora já contasse com "efeitos especiais" dos quais o criador foi George Méliès, citado no filme "A invenção de Hugo Cabret"), o cinema era mudo e somente no final da década de 1920 surgiram os primeiros resultados bem sucedidos de uma projeção sincronizada entre imagem e som. A cor só passa a ser introduzida no cinema comercial na década de 1930, na mesma época em que os filmes fotográficos comerciais também ganham cor.

4º etapa - Relações entre cinema e fotografiaA partir dessas informações já é possível para a turma compreender a estreita ligação entre a fotografia e ocinemae porque muitos cineastas trabalham também com fotografia, como o próprio Tarkóvski, que nos é apresentado pela matéria de "Bravo!". Além de todo o seu potencial expressivo, a fotografia pode contribuir para o estudo do espaço, dos enquadramentos das cenas e, portanto, colaborar para um refinamento das filmagens do cinema.Hoje, em pleno século 21, as câmeras fotográficas diminuíram ao mesmo tempo que ganharam maior capacidade de definição de imagens e rapidez. Elas estão nos telefones celulares e nos computadores e podem nos acompanhar em todos os lugares. O instantâneo das câmeras Polaroid foi substituído pela facilidade oferecida por modelos digitais que permitem visualizar a imagem imediatamente após o registro da foto.

5º etapa - Experimentando o instantâneo para criar o movimentoPeça para que os estudantes tragam suas câmeras fotográficas. Vale qualquer modelo, até a do celular. Solicite também que levem os cabos e demais dispositivos necessários para transferir as fotos para um computador. No encontro seguinte, quando a turma trouxer os equipamentos, retome algumas ideias já discutidas e proponha um ensaio fotográfico em que procurem registrar o instantâneo e o movimento.

Explique a eles que não vale filmar, pois o desafio será criar uma sequência de movimentos a partir da animação quadro a quadro. Com a ajuda de programas operacionalmente simples (como o MovieMaker) é possível obter resultados interessantes de imagens em movimento aos quais se pode acrescentar música e outros efeitos sonoros.A primeira etapa será a tomada de imagens! Para tanto, cada grupo deverá escolher uma determinada ação. Sugira que realizem sequências de fotos de algo em movimento. Pode ser alguém dançando, uma árvore se mexendo, pessoas andando etc. Lembre que é importante que as imagens sejam tomadas em sequência e que devem contar com pelo menos 12 imagens da mesma cena (para um segundo de projeção). Se a opção for por um movimento mais fluido, é preciso uma projeção com 24 imagens por segundo.Como elemento motivador vocês poderão assistir aovídeo Breath Me da cantora pop australiana Sia. Nesse vídeo, o movimento é reproduzido com uma sequência de centenas de imagens fotográficas.A partir do conjunto fotografado, proponha à turma que elaborem a animação. Lembre que é importante inserir sons, textos e outros efeitos.

6º etapa - Apresentação dos trabalhosPara o encerramento, vocês poderão criar um evento na classe ou ainda convidar alunos e professores de outras turmas para assistirem as apresentações. Para este encontro você pode solicitar, antecipadamente, a colaboração de outros colegas, como professores de História, o que ajuda a ampliar a compreensão sobre a trajetória do cinema e da fotografia, além dos aspectos já sugeridos relacionados à Química.

Avaliação

Podemos dizer que as imagens do cinema são um conjunto de milhares de fotografias reproduzidas tão rapidamente que ganham movimento e viram um filme. A partir das discussões em sala e do projeto final, analise se os estudantes conseguiram compreender o quão estreita é a ligação entre estas duas artes.

 

Tags: sala de aula, fotografia, cinema,

Nenhum comentário